segunda-feira, 31 de outubro de 2016

VAI COMEÇAR O FESTIVAL ESPORTIVO ESTUDANTIL DE TARAUACÁ 2016


CRONOGRAMA DE ATIVIDADES

Dia 10 de novembro de 2016

Local: Auditório Escola Djalma da Cunha Batista
1. Horário: 08:00 às 09:00 hs
Atividade: Tema 1 - Apresentação Políticas Públicas da SEE para desenvolvimento do esporte em 2017
Mediador(a): Shirley Santos

2. Horário: 09:15 às 11:30 hs
Atividade: Apresentação de propostas dos participantes para os programas
Mediador(a): Shirley / Alan

3. Horário: 14:00 às 15:00 hs
Atividade: Apresentação de formato Jogos Escolares 2017
Mediador(a): Alan

4. Horário: 15:00 às 16:30 hs
Atividade: Apresentação de propostas dos participantes para Jogos Escolares 2017
Mediador(a): Shirley / Alan

Dia 11 de novembro de 2016
Local: Quadra da Escola Djalma da Cunha Batista

5. Horário: 08:00 às 12:00 hs
Atividade: Festival Esportivo de Basquetebol / Voleibol
Responsável: José Carlos (coordenador); Alan e árbitros locais (Árbitros);
Local: Ginásio Rui Net Lima do Nascimento

6. Horário: 14:00 às 18:00 hs
Atividade: Festival Esportivo de Handebol
Responsável: Baicho (coordenador); Bolha e árbitros locais (Árbitros); acadêmicos (mesários);

Dia 12 de novembro de 2016

7. Horário: 08:00 às 12:00; 14 às 18:00 hs
Atividade: Festival Esportivo de Futsal
Responsável: José Carlos (coordenador); Baicho, Mário e árbitros locais(Árbitros); acadêmicos (mesários).

Novembro Azul alerta para prevenção e cuidados da saúde do homem


Alertar para os cuidados com a saúde do homem, incluindo a prevenção e o combate ao câncer de próstata, é isso que propõe o movimento Novembro Azul, criado em 2008 pelo Instituto Lado a Lado pela Vida.

Contudo, o alerta deve estender-se a outra doenças do universo masculino, como apontou o Ministério da Saúde, após implementar a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), destinada a homens de 20 a 59 anos, que indicou outras necessidades e peculiaridades relacionadas à saúde, algumas resultando em índices de morbimortalidade até mesmo maiores que os índices do câncer de próstata, foco até então da campanha.

“A Coordenação Nacional de Saúde do Homem anunciou que este ano a proposta do Novembro Azul é estimular o autoexame nos homens. O slogan da campanha é: ‘Autoexame é coisa de homem!’, estimulando o autocuidado na população masculina, e o diagnóstico de outras duas patologias que geram consequências graves: o câncer de testículo e o câncer de pênis”, disse Mauro Trindade, médico urologista e gerente da Divisão de Saúde do Homem da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre).

Além dessas patologias, outras doenças que podem atingir os órgãos genitais masculinos podem ser observados com o autoexame, dentre elas estão as lesões de infecção por sífilis e HPV, por exemplo.

Trindade ressalta que as ações de saúde do Novembro Azul devem ser executadas pelas secretarias de Saúde dos municípios.

O médico frisou que, caso um homem, ao realizar o autoexame, constate qualquer anormalidade em seu órgão genital, deve procurar um médico com urgência.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

MENSAGEM AOS SERVIDORES PÚBLICOS - 28 DE OUTUBRO/DIA DO SERVIDOR PÚBLICO

 

Nesta data em que todo o povo brasileiro celebra o 'Dia do Servidor Público', em nome do Governo do Estado do Acre e sua representação em Tarauacá através do Nucleo Estadual de Educação, aproveitamos a oportunidade para parabenizarmos os servidores públicos do município de Tarauacá, em especial os homens e mulheres da rede estadual de Educação.


"Neste dia, aproveito a momento para manifestar mais uma vez os agradecimentos aos servidores da Rede Estadual de Educação, pelo empenho, dedicação e responsabilidade na missão de educar a nossa comunidade(Professora Francisca Aragão).


DIA DO SERVIDOR PÚBLICO - No dia 28 de outubro comemora-se o dia do funcionário público. A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.

Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.

As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.

Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.

Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.

Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.

Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.

Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade. É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja, aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganham para prestar serviços a toda comunidade.

Por Jussara de Barros
Graduada em Pedagogia

fonte: http://brasilescola.uol.com.br/

TARAUACÁ ENCERRA SEGUNDA ETAPA DAS INSCRIÇÕES DO "QUERO LER' COM SUCESSO.


O Núcleo Estadual de Educação em Tarauacá, teve que realizaruma verdadeira "Força Tarefa" com seu quadro de pessoal, para finalizar o processo de inscrições do Programa "Quero Ler", que começaram na segunda feira dia 24 e se encerraram na quarta dia 26 de outubro. 

Começou pela ida do coordenador do programa participar de um programa na Rádio Comunitária com objetivo de mobilizar as pessoas interessadas em se inscreverem como bolsistas. 


No último dia de inscrições por conta da grande procura por inscrições, a própria Coordenadora do Núcleo, Professora Francisca Aragão teve que se juntar aos servidores para ajudar no processo de inscrições que no final contabilizou 186 inscrições. 

O Programa 'Quero Ler' vem se consolidando como uma das políticas públicas de governo mais importantes da gestão de Tião Viana. 

Os municípios que realizaram essas inscrições foram Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Xapuri, Brasileia e Epitaciolândia.

O edital para contratação de 594 novos bolsistas de alfabetização e 30 coordenadores de turma para o programa, em oito municípios acreanos.

A meta do programa é alfabetizar, até 2018, cerca de 60 mil pessoas em todo o Acre, tornando-se o primeiro estado brasileiro a erradicar o analfabetismo.

Cursos de capacitação neste modelo de ensino e outros títulos afins também são importantes. A remuneração é de R$ 800 para bolsistas de alfabetização e de R$ 1 mil para coordenadores de turma, com contrato de seis meses.

A carga horária para os bolsistas é de 15 horas semanais, enquanto para coordenadores de turma é de 20 horas, também por semana.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

INSCRIÇÕES PARA CONTRATAÇÃO DE BOLSISTAS DO PROGRAMA 'QUERO LER' SE ENCERRAM HOJE

As inscrições começam na segunda-feira, 24, e vão até quarta-feira, 26. Os municípios onde há vagas são Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Xapuri, Brasileia e Epitaciolândia.

O Programa Quero Ler vem se consolidando como uma das políticas públicas de governo mais importantes da gestão de Tião Viana. Na tarde desta quarta-feira, 19, o governo lançou, na Casa Civil, o edital para contratação de 594 novos bolsistas de alfabetização e 30 coordenadores de turma para o programa, em oito municípios acreanos.

O ato solene contou com a presença de 30 alunos e seis professores dos bairros João Eduardo e Ayrton Senna e dos gestores da área de educação. Participaram, ainda, do evento o publicitário e escritor Gilberto Braga e o deputado estadual Daniel Zen.

A meta do programa é alfabetizar, até 2018, cerca de 60 mil pessoas em todo o Acre, tornando-se o primeiro estado brasileiro a erradicar o analfabetismo.

“É o direito à dignidade humana sendo assegurado. São 594 turmas a mais sendo materializadas. Ano que vem, mais 1.022, e em 2018, outras 700 turmas. Queremos conciliar uma nova revolução no ensino no Acre. Vamos construir o novo modelo pedagógico para o ensino médio, e os alunos do Quero Ler serão parte dessa etapa revolucionária e inovadora”, afirmou Tião Viana.

O secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, explicou que a contratação se dará por meio de análise curricular e conta na avaliação, o tempo de formação dos candidatos, a titulação e a experiência na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Cursos de capacitação neste modelo de ensino e outros títulos afins também são importantes. A remuneração é de R$ 800 para bolsistas de alfabetização e de R$ 1 mil para coordenadores de turma, com contrato de seis meses.

“É o desafio do Quero Ler se concretizando ainda mais com essas 594 turmas que serão abertas este ano. Isso torna o Acre ainda mais próximo de ser o primeiro estado a erradicar o analfabetismo. Queremos entregar para as próximas gerações um mundo melhor”, disse o gestor.

A carga horária para os bolsistas é de 15 horas semanais, enquanto para coordenadores de turma é de 20 horas, também por semana.

As inscrições começam na segunda-feira, 24, e vão até quarta-feira, 26. Os municípios onde há vagas são Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Xapuri, Brasileia e Epitaciolândia.
Apoio parlamentar

O deputado estadual Daniel Zen disse que a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) manterá o apoio ao programa, uma vez que já ajudou em diferentes dimensões aprovando a lei que instituiu a iniciativa institucional de bolsa para a educação básica, que prevê a bolsa dos alfabetizadores do Quero Ler.

“Num segundo momento, nós, deputados estaduais, destinamos parte de nossas emendas parlamentares para custear essas bolsas”, lembra o deputado, que também é ex-secretário de Educação.

Um programa de mudanças e oportunidades

Entre os alunos e professores presentes, Maria Madalena do Nascimento, 65 anos, lembra que antigamente no seringal as pessoas não tinham oportunidade de estudar. Vindo há pouco para Rio Branco, vive uma época de transição a passos largos rumo à oportunidade e ao conhecimento.

“Agora, já de idade, aqui em Rio Branco comecei a estudar, e foi aí que a mudança começou na minha vida. Eu era uma pessoa tímida, jamais falaria em público, mas hoje me sinto importante, porque sei ler em qualquer lugar onde esteja”, conta a aluna.

Já Mirna Aguiar, coordenadora do núcleo de educação de Sena Madureira, afirma que a comunidade está ansiosa para a chegada do programa. “É uma oportunidade muito grande para as pessoas da nossa cidade se alfabetizarem. Uma politica de governo muito importante para desenvolver o estado, e Sena Madureira recebe este programa com muito otimismo”, comenta.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Governo lança edital de contratação de 594 bolsistas para o Quero Ler

O ato solene contou com a presença de 30 alunos e seis professores dos bairros João Eduardo e Aírton Sena (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
O Programa Quero Ler vem se consolidando como uma das políticas públicas de governo mais importantes da gestão de Tião Viana. Na tarde desta quarta-feira, 19, o governo lançou, na Casa Civil, o edital para contratação de 594 novos bolsistas de alfabetização e 30 coordenadores de turma para o programa, em oito municípios acreanos.

O ato solene contou com a presença de 30 alunos e seis professores dos bairros João Eduardo e Ayrton Senna e dos gestores da área de educação. Participaram, ainda, do evento o publicitário e escritor Gilberto Braga e o deputado estadual Daniel Zen.

A meta do programa é alfabetizar, até 2018, cerca de 60 mil pessoas em todo o Acre, tornando-se o primeiro estado brasileiro a erradicar o analfabetismo.

“É o direito à dignidade humana sendo assegurado. São 594 turmas a mais sendo materializadas. Ano que vem, mais 1.022, e em 2018, outras 700 turmas. Queremos conciliar uma nova revolução no ensino no Acre. Vamos construir o novo modelo pedagógico para o ensino médio, e os alunos do Quero Ler serão parte dessa etapa revolucionária e inovadora”, afirmou Tião Viana.

O secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, explicou que a contratação se dará por meio de análise curricular e conta na avaliação, o tempo de formação dos candidatos, a titulação e a experiência na Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Cursos de capacitação neste modelo de ensino e outros títulos afins também são importantes. A remuneração é de R$ 800 para bolsistas de alfabetização e de R$ 1 mil para coordenadores de turma, com contrato de seis meses.

“É o desafio do Quero Ler se concretizando ainda mais com essas 594 turmas que serão abertas este ano. Isso torna o Acre ainda mais próximo de ser o primeiro estado a erradicar o analfabetismo. Queremos entregar para as próximas gerações um mundo melhor”, disse o gestor.

A carga horária para os bolsistas é de 15 horas semanais, enquanto para coordenadores de turma é de 20 horas, também por semana.

As inscrições começam na segunda-feira, 24, e vão até quarta-feira, 26. Os municípios onde há vagas são Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Xapuri, Brasileia e Epitaciolândia.
Apoio parlamentar

O deputado estadual Daniel Zen disse que a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) manterá o apoio ao programa, uma vez que já ajudou em diferentes dimensões aprovando a lei que instituiu a iniciativa institucional de bolsa para a educação básica, que prevê a bolsa dos alfabetizadores do Quero Ler.

“Num segundo momento, nós, deputados estaduais, destinamos parte de nossas emendas parlamentares para custear essas bolsas”, lembra o deputado, que também é ex-secretário de Educação.

Um programa de mudanças e oportunidades

Entre os alunos e professores presentes, Maria Madalena do Nascimento, 65 anos, lembra que antigamente no seringal as pessoas não tinham oportunidade de estudar. Vindo há pouco para Rio Branco, vive uma época de transição a passos largos rumo à oportunidade e ao conhecimento.

“Agora, já de idade, aqui em Rio Branco comecei a estudar, e foi aí que a mudança começou na minha vida. Eu era uma pessoa tímida, jamais falaria em público, mas hoje me sinto importante, porque sei ler em qualquer lugar onde esteja”, conta a aluna.

Já Mirna Aguiar, coordenadora do núcleo de educação de Sena Madureira, afirma que a comunidade está ansiosa para a chegada do programa. “É uma oportunidade muito grande para as pessoas da nossa cidade se alfabetizarem. Uma politica de governo muito importante para desenvolver o estado, e Sena Madureira recebe este programa com muito otimismo”, comenta.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Educação realiza certificação de coordenadores e professores

Mais de mil profissionais participam da certificação oferecida pela SEE (Foto: Stalin Melo)
A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), por meio da Diretoria de Ensino, realiza desde a última segunda-feira, 17, o curso de certificação para professores e coordenadores pedagógicos. Os dois primeiros dias de formação são com aulas teóricas e no último, esta quarta-feira, 19, serão realizadas as avaliações. Mais de mil profissionais de Educação se matricularam para fazer a certificação.

A formação ocorre em Rio Branco, Sena Madureira, Tarauacá, Brasileia e Cruzeiro do Sul. Na capital, é realizada no auditório da própria SEE, no auditório do Instituto Federal do Acre (Ifac), no Centro de Estudo de Línguas (CEL), na Biblioteca Pública e no auditório do Colégio Barão de Rio Branco.

A certificação é realizada pelo Instituto Abaporu e a SEE, que, além de qualificar seus professores e coordenadores, também apoia a participação dos coordenadores da rede municipal de ensino.

De acordo com a diretora de Ensino da SEE, professora Rúbia Cavalcante, entre os objetivos da certificação está a melhoria da qualidade da aula oferecida aos alunos. “Este curso serve para que os coordenadores possam acompanhar melhor as aulas dos professores, para que eles possam orientar melhor, possam ajudar e selecionar de maneira mais eficiente as atividades que serão oferecidas aos alunos”, destacou.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Projeto de escolas de ensino integral será prioridade do governo no Acre

Expectativa é de que nove escolas de tempo integral sejam implantadas no Acre entre 2017 e 2018 (Foto: Sérgio Vale/Secom)
As escolas de ensino integral são discutidas há anos como uma das propostas de fortalecer e melhorar os caminhos educacionais no país. Por isso, elas são uma das metas do Plano Nacional da Educação (PNE), aprovado ainda na gestão da presidente Dilma Rousseff.

Em menos de 10 anos, 50% das escolas públicas e 25% dos estudantes no Brasil terão acesso a sete horas de aprendizagem por dia, e o Acre começa a trabalhar por essa realidade.

Para o governador Tião Viana, o ensino integral é uma prioridade para a melhoria dos índices educacionais do Acre, que já apresentam resultados com as políticas educacionais postas em prática nos últimos anos.

Pensando nisso, ele se reuniu na segunda-feira, 17, com membros do Instituto de Corresponsabilidade Pela Educação (Ice) e os institutos Sonho Grande e Natura, para fechar uma parceria para implantação de nove escolas de ensino público integral.

A perspectiva é trabalhar junto aos institutos, para que, de 2017 a 2018, as escolas em tempo integral sejam uma realidade no estado.

“Vamos fazer um esforço gigante para a implantação de escolas em tempo integral, com uma mudança ampla no ensino médio, resultando em ganhos para nossos alunos e, consequentemente, para toda a sociedade”, declarou Tião Viana.

A reunião contou com a presença do diretor de projetos do Instituto Sonho Grande, Sandro Castro, do presidente do Ice Brasil, Marcos Magalhães, e da coordenadora de projetos educacionais do Instituto Natura, Carolina Faria.

O secretário de Estado de Educação e Esporte, Marco Brandão, também esteve presente.

“Mais um grande passo dado pelo governo do Acre no sentido de garantir ao povo uma educação pública de qualidade, que de fato contribua para a formação de nossos jovens. Uma escola atrativa, dinâmica, sintonizada com as demandas do mundo neste século. E o principal: que tenha o projeto de vida das nossas meninas e de nossos meninos como eixo norteador dos processos pedagógicos, como elemento central do fazer da escola”, ressalta Marco Brandão.

Brandão disse ainda que não se trata apenas de uma ampliação de jornada das aulas nas escolas, mas de uma mudança no modelo de formação centralizada do jovem e em seu projeto de vida, além da mudança na relação que ele estabelece com a escola e seu futuro.

A parceria de gestão compartilhada com os institutos não gera custos para o estado, e a responsabilidade do governo é com a implantação efetiva do novo modelo de ensino. A parceria será contínua, pelos próximos três anos, até a entrega das escolas.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

CURSO DE FORMAÇÃO PARA PROFESSORES E COORDENADORES PEDAGÓGICOS DE TARAUACÁ, FEIJÓ E JORDÃO

Encontro aconteceu no CEDUP/Tarauacá
A Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), iniciou nesta segunda-feira, 17 de outubro, no auditório do CEDUP em Tarauacá, formação continuada para as equipes pedagógicas das escolas da rede estadual dos municípios de Tarauacá, Feijó e Jordão. 

Professora Lilia Resende comandou a formação
O curso se estende até esta terça feira, 18 de outubro, está sendo ministrado pela Professora Formadora Lilia Resende do Instituto Abaporu de Educação e Cultura. Lia Resende fala ao blog do Núcleo de Educação de Tarauacá, sobre a importância do curso.

Professora Lilia Resende
"São conteúdos de extrema importância para a atuação dos nossos professores e coordenadores e a ideia é desenvolver um curso que servirá para a certificação de coordenadores pedagógicos que está em processo já há algum tempo e que se efetivará depois de uma avaliação que todos eles se submeterão no final dessa etapa. Os conteúdos dizem respeito à função do coordenador pedagógico nas escolas em que atuam, para que sejam reconhecidos como formadores de professores, visto que esse é um investimento grande que o Governo do Estado do Acre vem fazendo já há algum tempo e que os resultados são evidentes", comentou. Ainda de acordo com Lilia Resende, os resultados desses investimento do Governo do Estado, já são visíveis. "O IDEB nesse estado cresceu visivelmente e isso se deve sem dúvida nenhuma ao crescimento dos professores, à melhoria da qualidade do ensino que é oferecido nessas escolas, as possibilidades que crianças e jovens têm tidos na leitura, escrita e todas as habilidades que são avaliadas pelos avaliadores externos", disse.

Profissionais de Tarauacá, Feijó e Jordão participaram do curso
A formação faz parte de uma política do governo do Acre para melhorar a qualidade do ensino e que se baseia no seguinte tripé: universalização do acesso, qualidade da Educação e a permanência das crianças e jovens na escola.


Por 
Núcleo Estadual de Educação de Tarauacá

Programa Quero Ler do governo reúne cerca de 500 professores no Acre

Casal Claudineis Aguiar, 47, e Adalcilene, 42, está sendo alfabetizado pela filha, que é educadora (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Nesta sábado, 15, o Brasil celebra o Dia dos Professores, e no Acre cerca de 500 profissionais já assumiram o compromisso de contribuir para a erradicação do analfabetismo no estado até 2018. Esses mestres fazem parte do programa Quero Ler, criado pelo governador Tião Viana, e implantado este ano pela Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE).

O Quero Ler tem transformado o ambiente educacional e revelado um novo perfil de professores e de estudantes, que acreditam que o saber renova sonhos e o conhecimento pode se dar em qualquer tempo da vida.

O papel do educador é fundamental nessa jornada carregada de histórias, cidadania e emoção. Em cada espaço de formação, as salas de aula do Quero Ler, histórias se revelam entre educadores e alunos.

São narrativas como a do casal Claudineis Aguiar, 47, e Adalcilene Aguiar, 42. Eles estão sendo alfabetizados pela própria filha, Nágila Aguiar, que é educadora.

“Que coisa boa, um presente! Não seria tão gratificante com outra pessoa quanto é com ela. Um orgulho para mim”, revela Claudineis.

No Belo Jardim, as turmas de alfabetização funcionam em espaço cedido pela Paróquia do bairro.

Raimunda Ferreira do Carmo, de 76 anos, foi quem conversou com o padre. Mãe de oito filhos, ela é hoje uma das alunas mais dedicadas e reconhece o papel dos mestres no processo de aprendizado.

“Com a professora aqui, eu já sei assinar meu nome direitinho e ler um pouquinho. Já entendo muita coisa Agradeço aos professores não só por mim, mas por todos”, disse.

Uma das professoras da turma, Maria Luciana, está se formando este ano em Pedagogia. No desafio diário de ensinar adultos a ler e escrever, ela não esconde a satisfação pessoal. “Para mim está sendo muito gratificante, porque já trabalhei com ensino infantil, e trabalhar com jovens e adultos tem sido maravilhoso, por ver a mudança que tem acontecido com eles.”

O programa também tem revelado seu alcance ao chegar nos lugares mais distantes do estado semeando conhecimento. No quilômetro 12 da BR-364, um pouco depois da Colônia Souza Araújo, fica a pequena Vila Albert Sampaio. Na Escola Estadual Oscar Felício de Souza, funciona mais uma das turmas do Quero Ler.

Arnaldo Alves da Costa, 64 anos, mostra-se um dos alunos mais animados. Ele afirma que não tem tempo ruim que o faça perder uma aula. “Estou muito satisfeito com nossos parceiros e as professoras. Passo o dia trabalhando, e quando é de tarde eu chego, minha esposa faz logo a janta, eu boto o livro debaixo do braço e venho para cá.”
“Conhecimento é para a vida toda”Aposentado Victor Felix de Mendonça já sabe ler algumas frases e afirma que conhecimento é para a vida toda (Foto Gleilson Miranda/Secom)
No Ramal Castanheira, do bairro Santa Maria, o Quero Ler tem transformado a vida de 15 alunos adultos, entre 30 e 75 anos.

A maioria tem histórias de vida parecidas: residiam no seringal, começaram a trabalhar cedo, formaram família precocemente, e a oportunidade de estudo não foi algo comum para eles.

O aposentado Victor Felix de Mendonça revela que viveu no seringal nas décadas de 1970 e 1980. Nesse tempo o estudo era uma realidade distante. Ele e a família nunca deixaram de acreditar que o momento de aprender a ler chegaria, afinal, “conhecimento é pra vida toda”.
Jornada do Quero Ler

No fim de setembro, foi celebrada a primeira Jornada do Quero Ler. A festa reuniu jovens e adultos, alunos do programa. Foi um evento paralelo das aulas, com duração de quase oito meses.

Durante a jornada, o governador Tião Viana manifestou seu orgulho com os resultados do programa.

“Esta turma já está aprendendo a mandar uma mensagem para os amigos, um familiar. Eles já não perguntam mais qual o ônibus que têm de pegar, já leem o nome nas ruas, dos comércios, já estão assinando seus documentos. Isso traz a esperança de um mundo de luz que se abre para essas pessoas. Estou muito feliz, e até 2018 o Acre será o primeiro estado do país a eliminar o analfabetismo.”
Números do Quero Ler

Em todo o Estado, já são 921 turmas, das quais 493 na zona urbana e outras 428 na zona rural, totalizando 10.450 alunos, sendo 6.140 na cidade e outros 4.310 espalhados em diversas comunidades. Até junho de 2018, a expectativa é de que ele chegue a 60 mil pessoas.

Para o secretário de Estado de Educação, Marco Brandão, o programa é resultado de uma política focada na educação não só das crianças e adolescentes, mas também de adultos. “Não podíamos deixar de atender as duas pontas que temos – as crianças, que precisam ser alfabetizadas, e os adultos, que não tinham acesso às letras. Construímos juntos um Acre em que todos têm acesso à escrita”, disse.

Fonte: Agência de Notícias do Acre

Aos 78 anos, professora aposentada ainda mantém vínculo com a Educação

Ser professor é uma missão”. A frase é de Iris Célia Cabanellas Zannini, de 78 anos, 60 deles passados em sala de aula.

Aos 78 anos, Iris Célia fala com emoção do amor pela educação (Foto: Diego Gurgel/Secom)
Atualmente está aposentada do cargo de professora da Universidade Federal do Acre (Ufac), mas o amor pela profissão não permite que ela se afaste dos deveres. Há 30 anos exerce a função de presidente do Conselho Estadual de Educação.

Seu primeiro emprego de professora foi no ano de 1956, na Escola Estadual 24 de Janeiro, localizada no Segundo Distrito da capital.

Nesses 60 anos, muitas lutas e conquistas por melhorias na educação acreana. “Eu fundei a Associação dos Professores Primários do Acre [ASPAC], hoje Sinteac, uma grande conquista para os trabalhadores em educação do nosso Estado”, contou.

Para Iris Célia, a profissão de educador hoje é muito diferente do que há 60 anos. “Os valores mudaram, a sociedade evoluiu. Toda essa modernidade afastou o aluno do professor – antes os laços eram fortes e duradouros, prova disso é que até hoje, quando um ex-aluno me encontra na rua, a emoção toma conta. Os professores de antigamente marcaram sua geração.”

Sobre as sementes plantadas como mestre, a aposentada fala com orgulho. “O que o amor de um professor opera na vida de uma criança é impressionante. Quando um ex-aluno se torna um educador, meu coração se orgulha, afinal, de alguma forma eu fui inspiração.”

No dia dedicado a quem se doa para melhorar o futuro de uma nação, o desejo de quem entregou mais de meio século à causa é que a relação professor/aluno seja cultivada a cada dia.

Tem que haver respeito, pois um depende do outro, e assim os dois crescem e caminham juntos. O aluno é como se fosse um solo fértil, onde o professor semeia suas melhores sementes para que se produzam belos frutos”, finalizou.

fonte: Agência de Notícias do Acre

Nova geração de professores no Acre promove uma revolução na forma de ensinar

Aulas de robótica chamam a atenção dos alunos (Foto: Diego Gurgel/Secom)

Eles são jovens, compromissados com o que fazem e dispostos a ousar, seja em sala de aula, seja incentivando a comunidade escolar a abrir espaços alternativos para o conhecimento. Não fazem da carga horária o seu objetivo principal, mas criam horários alternativos nos contraturnos para administrar conteúdos para além da escola tradicional.

No Acre, uma nova geração de professores desponta na rede pública de ensino com métodos inovadores, e estão obtendo resultados altamente satisfatórios. Esses educadores são lembrados hoje, quando se comemora o Dia do Professor, como exemplos de que é possível conciliar a escola tradicional com práticas que estimulem crianças e adolescentes a aprender fazendo. Bem-vindos à rotina dos super professores.

O primeiro deles leciona física na escola Professora Heloísa Mourão Marques, no bairro Aeroporto velho. Se Copérnico ou Galileu estivessem vivos e pudessem assistir a uma aula de Daniel Gomes, com certeza, ficariam boquiabertos com a facilidade com que seus alunos assimilam os conteúdos de astronomia.

O projeto Astronomia Aberta, idealizado como atividade paralela aos estudos teóricos da disciplina, trabalha questões como a existência de vida fora da terra, o funcionamento de um buraco negro, de que é formada uma estrela, um asteroide e como funcionam as galáxias, de um modo praticamente lúdico.

E acredite: as duas horas-aulas que ele tem na escola não foi um empecilho para ele.

“Como eu tenho 13 turmas e praticamente nenhum tempo extra pela manhã, resolvi me dedicar aos alunos no contraturno. Reuni algumas lunetas cedidas pela Ufac, preparei vários vídeos sobre o Universo e começamos a caminhar, eu e os estudantes que se interessaram pela matéria, desvendando novas oportunidades de conhecimento pela prática”, conta o professor, que é formado em Física pela Universidade Federal do Acre e aprovado no concurso público da Secretaria de Educação e Esporte em 2014.

Os alunos do 1º ao 3º ano, se empenham em fazer o melhor, buscando explorar cada vez mais as novas possibilidades de aprendizagem. Entre eles, está Gabriele Bezerra, 17 anos, do 2º ano. “A forma como ele explica, por exemplo, o movimento de rotação e translação da terra ou o que contém uma estrela é muito divertido, quando ele usa documentários”, diz a jovem.

A menos de um quilômetro da escola do professor Daniel e da jovem Gabriele, descendo a Ladeira do Bola Preta, está a escola José Ribamar Batista, celeiro de jovens cientistas, sob a tutela do professor Fernando César Rivarola Ramirez, também da cadeira de Física.

Eles se especializam em robótica experimental para participarem do First Lego League, o FLL, maior festival de robótica do mundo, cujas eliminatórias serão realizadas em São Paulo, nos dias 9 e 12 de novembro próximos.

Para trabalhar com uma turma de 15 estudantes, o professor sensibilizou a direção da escola a reativar o laboratório, que estava servindo de almoxarifado. Ali, ele trabalha com a garotada na construção de experimentos. Embora tenha obtido o apoio da Escola Sesi, Ramirez se orgulha de seus alunos pela capacidade da reinvenção.

“Pedimos sempre que tragam alguma coisa que não presta mais em casa, seja uma fonte de celular, um disco rígido quebrado de computador, um capacitor velho ou circuitos integrados e placas de imãs. São quinquilharias que, em vez de serem jogadas no lixo, são reutilizadas por uma boa causa, a ciência da robótica”, ressalta o docente.

Conexão entre disciplinas melhora o ensino-aprendizagem

Na escola Heloísa Mourão Marques, o professor Antônio Fernandes, de matemática, dialoga com o colega Daniel Gomes, que abriu esta reportagem, quando vai abordar cálculos e aplicações de fórmulas que abordem resistores e correntes elétricas em suas aulas do ensino médio.

“Os alunos dizem: ‘Eu já vi isso aí na aula do professor Daniel’. E a ideia é essa: conectar as disciplinas para que o aprendizado seja pleno”, explica Fernandes.
Língua portuguesa, geografia e sociologia juntas é possívelLiz (E) também gosta da forma divertida como o professor Luís Carlos da Silva, de português,ministra os conteúdos 

Até a última semana, o professor Luís Carlos da Silva trabalhava com conectivos da língua portuguesa, com os estudantes do 2º ano ‘T’ da escola Heloísa Mourão Marques. Estes jovens estão experimentando a interdisciplinaridade. Esta palavra quase interminável significa na prática que estão aprendendo português, sociologia e geografia de uma só vez, por meio da produção textual.

“Basicamente, o que eles veem nas outas disciplinas de humanas, transferem para as redações. Assim, melhoramos as habilidades de escrita, o vocabulário desses alunos e os capacitamos para o Enem deste ano”, afirma Luís Carlos da Silva.

Desse modo, artigos sobre espaços urbanos, textos jornalísticos e análises de comportamento sociais são um bom cardápio para as atividades de em sala de aula. E empolgam a menina Liz da Silva Santos, de 17 anos. “Estudar nunca foi divertido. Mas desse jeito aqui, a escola vira um doce pra gente”, brinca.
Estudantes do 2º ano da escola Mozart Donizeti: êxito graças a um sistema que integra a família à escola e valoriza o ambiente da sala de aula (Foto: Resley Saab)
Valorização dos profissionais é meta prioritária do governo

Mesmo com a séria crise que o país atravessa, o governo do Estado do Acre é um dos que mais investe na Educação no país. Um levantamento detalhado dos recursos mostra que o impacto geral, na folha de pagamento dos professores no estado foi de R$ 126 milhões no ano passado.

O governo Tião Viana tem trabalhado na valorização dos professores a ponto de possibilitar que esses profissionais recebam salário 40% maior que os de São Paulo, por exemplo.

Enquanto um docente com formação superior e piso inicial de São Paulo ganha R$ 8,05 por hora, o acreano recebe R$ 13,16. No ranking dos salários do país, o Acre lidera a lista dos Estados que pagam melhor os seus professores em início de carreira, apesar de ter um dos menores Orçamentos do país.

Um levantamento do Departamento de Pessoas, da Secretaria de Estado de Educação e Esporte, mostra que medidas de controle das contas e de reorganização dos docentes possibilitaram uma redução de recursos na folha de pagamento, embora o quadro de professores tenha aumentado.

Em setembro de 2015, por exemplo, a folha de pagamento somente dos efetivos era de pouco mais de R$ 27.105.621,85 para 8.115 profissionais. Este ano, o último pagamento, ocorrido em setembro último, o valor total da folha foi de R$ 25.129.311,71.

Uma outra análise mostra que em 2015, o estado tinha 15.133 professores, entre efetivos e provisórios, com uma folha de pagamento de R$ 41.315.654,02. Em 2016, com os reajustes salariais, a folha ficou com a média de: R$ 42.451.686,90.

A reorganização tirou docentes de funções burocráticas e os colocou na sala de aula, permitindo melhor uso dos recursos.

Acre é o estado com o melhor desempenho no Ideb da região Norte

Políticas públicas integradas, investimentos em infraestrutura física de escolas públicas e qualificação de professores, entre outras ações executadas pelo governo do Estado, permitiram que hoje o Acre celebrasse avanços nos indicadores de educação, como confirmam os números divulgados nesta semana pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que apontou o estado como o primeiro lugar da Região Norte no ensino fundamental I e II.

“O Acre é o primeiro estado da Região Norte nas séries iniciais do ensino fundamental e o primeiro em qualidade nas séries finais do ensino fundamental. Significa dizer que estamos avançando em relação à taxa de crescimento do Brasil e em relação à nossa própria região”, comentou Marco Brandão, secretário de Estado de Educação e Esporte.

De acordo com o Ideb, em 2013 o Estado registrava índice de 5,1 pontos nas séries do 1° ao 5° ano. Em 2015, o crescimento foi de 0,4, chegando a 5,5 pontos. Nos dados de municípios, o ensino público da rede de Rio Branco apresentou crescimento de 0,3 ponto nas séries iniciais, saindo de 5,5 para 5,8 pontos.

No ensino fundamental do 6° ao 9° ano a educação estadual alcançou 4.5 pontos, na avaliação de 2015. No ensino médio, no mesmo ano, o Acre registra 3.6 pontos.


Agência de Norícias do Acre

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

COORDENADORA DE EDUCAÇÃO SAÚDA OS PROFESSORES E PROFESSORAS PELA PASSAGEM DO SEU DIA


Em nome do Governo do Estado do Acre e da sua representação da Secretaria de Educação e Esportes no município de Tarauacá, a Professora Francisca Aragão, Coordenadora do Núcleo de Educação Estadual, manifesta seus cumprimentos aos queridos professores e queridas professoras pela passagem do dia 15 de outubro.

"Saúdo a vocês, desejando que esta data seja de comemorações e reflexões sobre a nossa valorosa missão de ensinar a formar cidadãos e cidadãs conscientes e livres" disse a professora. 

ORIGEM DO DIA DO PROFESSOR

No dia 15 de outubro é comemorado o Dia do Professor, data em que se homenageia os responsáveis pelo desenvolvimento da educação e do conhecimento no país, abrangendo um escopo de profissionais que trabalham desde a educação infantil até o ensino superior universitário. Como todos sabemos, trata-se de uma das mais importantes profissões praticadas no mundo, afinal, sem ela, a transmissão de conhecimentos e a correta apreensão destes pelas pessoas seriam praticamente impossíveis.

A origem do dia do professor se deve ao fato de, em uma data de 15 de outubro, o Imperador D. Pedro I ter instituído um decreto que criou o Ensino Elementar no Brasil, em 1827, com a criação das escolas de primeiras letras em todos os vilarejos e cidades do país. Além disso, o decreto estabeleceu a regulamentação dos conteúdos a serem ministrados e as condições trabalhistas dos professores.

Tempos depois, mais precisamente no ano de 1947, o professor paulista Salomão Becker, em conjunto com três outros profissionais da área, teve a ideia de criar nessa data um dia de confraternização em homenagem aos professores e também em razão da necessidade de uma pausa no segundo semestre, até então muito sobrecarregado de aulas. Mais tarde, em 1963, a data foi oficializada pela lei Decreto Federal 52.682, que, em seu Art. 3º, diz que “para comemorar condignamente o dia do professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo delas participar os alunos e as famílias”.

No Brasil, para se tornar professor, é preciso ter um curso superior em uma área relacionada com o ensino, seja a Pedagogia, seja um curso na modalidade delicenciatura, onde se apreende os principais conceitos didáticos pedagógicos, além de se angariar as primeiras experiências em sala de aula.

Além disso, qualquer outro cidadão que tenha concluído o ensino superior com uma formação complementar posterior (pós-graduação lato sensu ou stricto senso) também pode ministrar aulas na universidade, com a recomendação de que o profissional faça uma especialização de docência em nível superior ou algum outro curso correspondente.

O grande problema com relação ao exercício do professorado é a desvalorização de sua profissão. Embora seja uma das competências mais admiradas pela sociedade, os profissionais da área sofrem com os baixos salários, as precárias condições de trabalho em alguns casos ou o trabalho excessivo em outros, além de outros fatores, como a indisciplina dos alunos e a superlotação das salas. Essa realidade reflete-se no baixo interesse dos estudantes em se tornarem professores, pois a minoria dos que prestam vestibular e Enem deseja ingressar em carreiras relacionadas com a licenciatura ou pedagogia.

Soma-se a esses fatores o peso que, muitas vezes, o professor carrega em educar os estudantes, haja vista que, não raro, as famílias transferem essa responsabilidade para a escola. Segundo o professor e filósofo Mario Sérgio Cortella, há uma diferença nem sempre muito nítida entre “educar” e “escolarizar”, sendo a primeira uma responsabilidade dos pais e da família e a segunda a função do professor e da escola.

Apesar de todas as dificuldades e percalços, a carreira de professor é bastante importante e oferece uma grande oportunidade para que as pessoas não só acumulem saberes, mas que também oportunizem a outras pessoas o desenvolvimento das diferentes formas de conhecimento. Vale lembrar que a função do professor não é a de transmitir informações, mas fazer com que o aluno consiga assimilar melhor as características e processos inerentes ao mundo em que vive.

FONTE: http://brasilescola.uol.com.br/datas-comemorativas/dia-do-professor.htm